quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Fulano , Sicrano e Beltrano

Fulano, Sicrano e Beltrano
Não são esses que eu quero...
Eu quero aquela lá...
de sandálias havaianas.
Eu fico sempre a esperar do andar de cima.
Ei...aqui moça-flor!
Escala do meu ideal,
sentidos aguçados ,
A
linguagem
dos versos cinéticos
doidos olhos
a ver sua seiva
misturando no meu corpo
acordei na mata...
girando sobre as folhas.
recorto a poesia.
Amada
hoje és a aventura do meu ente
roda gigante
meio a meio
meu mundo ao teu mundo
inteiro.
Dois, três...
notas musicais
ela, a doce mulher
corre a partir do mínimo no meus somas:
cromossomos...
oxigênio,
alma, corpo, espírito,
pensamento, áurea, sentidos,
sentimentos, psique, consciência,
subconsciência, inconsciência, ciência,
íons, átomos,elétron, nêutros e próton...
Novo mundo novo
A menina...penhasco
Noite a noite.
O chão.


[Hans Muller]

2 comentários:

  1. Lindíssima poesia Hans, fabulosa, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. ahusauhhusahusahusauh

    veleu atriz...amo a suas também.

    ResponderExcluir