sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ventos cruzados

Ah, ventos daqui se tu pudesses

Levar-me para os ventos de lá

Nessa alta noite.

Onde nossas almas possa se encontrar

voarei para próximo de ti,

como a lua que cabe na janela do olhar.

vibrarei tua presença.

erguendo-a para o templo

A arte.

boca florida.

A distância que não existe.

A música

Arrastando seu perfume até meu corpo,

como uma torrente de ar.

Caminhando meu caminho.

Procuro me banhar da tua presença espiritual.

tempo e voz

Secretos... o ar e o orvalho.

Corações

bailando heroicamente

os ecos da Era luz.


[Hans Muller]

Imagem: Gibran

2 comentários:

  1. Haans Hans, gostei muito do seu poema, é um poema forte e bem construído.
    Parabéns
    Beijos

    ResponderExcluir