quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Um olhar sobre o não espetáculo



Um Instante de Silêncio
Apenas o barquinho de papel
e o menino em sua travessia.

Algumas estrelas se abriram.

O menino foi para o não visto.
Na extração da parte-todo
Numa tensão negativa dos limites existenciais.
Mergulhado na unidade natural
uma expressão compreendida 
na abertura das velas.
O viver de si.

2 comentários:

  1. Silêncio, travessia, tensão... o viver de si! A poesia é poesia e nada mais importa... apenas SER intensamente! Belo poema rapaz!

    ResponderExcluir