segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Espelho e Memória


Deitou sobre a raiz amarela
Com seu espelho mágico...
observou o menino presente.
Na magia do olhar
desenhou seus encantamentos e quimeras.
Sacudiu
na certeza mística...
O renascimento de Zagreu.
Transcorreram a existência sensível,
os delírios sagrados.
Acalmaram a alma nos beijos mordidos
Símbolo Misterioso.
As múltiplas perguntas e sabores
desaguavam aos 16 km
para alimentar  a maquina dos meus sonhos
nas janelas abertas ( no alvorecer?).
                                                                                                          Hans Muller
Dali                                                                                     
                                  

Um comentário:

  1. Siga as orientações...depois destaque as fichas e granpeie-as na ordem correta (?)! Belo poema! Parabéns!

    ResponderExcluir